Cuidados especiais no transporte e manipulação de agrotóxicos!

05/06/2018 - Produtores Rurais

A aplicação de agrotóxicos é uma das etapas mais sensíveis de qualquer cultura. O produtor deve levar em conta uma série de requisitos, do horário de aplicação à dose de emprego dos agentes; do princípio ativo ao modo de ação. Por isso, é imprescindível que a orientação de aplicação seja feita por um engenheiro agrônomo habilitado.

Segundo o Boletim de Comercialização de Agrotóxicos e Afins, publicado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), o agronegócio brasileiro consumiu 500 mil toneladas de agrotóxico em 2013. Já a produção nacional desses agentes chegou 430 mil toneladas neste mesmo ano. Para evitar o descontrole no uso do agrotóxico e garantir que o agente seja corretamente aplicado, confira estes cuidados especiais que toda cultura deve ter:

A compra do agrotóxico

Preço é importante, mas na compra de agrotóxicos é preciso levar em conta outros fatores, pois cada agente tem seu uso específico para certo tipo de praga e momento de produção. De nada adianta comprar o mais barato se ele não vai atender ao propósito. Além disso, a opção sempre deve ser por produtos originais, pois os contrabandeados e falsificados podem ter uma carga de veneno muito maior — o que irá prejudicar a cultura, a saúde e todo o entorno da plantação.

Conversar com o engenheiro agrônomo sobre a melhor forma de aplicar o produto e de manuseá-lo é outra atitude imprescindível. Além de questões relacionadas ao agente, ele informará também quais são os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários para aplicação do agrotóxico.

Escala de toxicidade

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) classifica os agrotóxicos em quatro classe, de acordo com seu grau de toxicidade:

  • ·Classe 1 (vermelha): extremamente tóxico;
  • ·Classe 2 (amarela): altamente tóxico;
  • ·Classe 3 (azul): medianamente tóxico;
  • ·Classe 4 (verde): pouco tóxico.

Essa escala diz respeito ao perigo para o ser humano, e não à eficiência ao combate de pragas. Portanto, a melhor atitude é preferir produtos menos tóxicos e só levar os mais perigosos em casos de falta do agente para a praga da cultura.

O transporte do agrotóxico

O agrotóxico deve ser transportado na caçamba de caminhonetes, sem a presença de outros produtos, animais e alimentos. A caçamba deve ser coberta por uma lona impermeável. É importante que o comprador cheque antes de sair da loja se as embalagens apresentam vazamentos. Além disso, o comprador deve solicitar a nota fiscal do produto e tê-la em mãos durante o transporte do agrotóxico. Qualquer desrespeito a essas regras irá acarretar multa ao condutor e ao vendedor. A ficha de emergência é fundamental.

Antes de aplicar o agrotóxico

Calibrar e preparar a calda exige cuidados para evitar contaminação, vazamentos e problemas para a saúde e meio ambiente. O primeiro passo é prestar atenção nos componentes corretos, como bicos, filtro, agitadores e manômetros. Eles serão responsáveis pelo bom funcionamento do pulverizador e por uma aplicação mais segura.

A calda pode ser preparada diretamente no tanque ou por meio de uma pré-diluição. É essencial a orientação do agrônomo e ler atentamente as informações do fabricante antes de preparar o material. Apenas a quantidade necessária para aquela aplicação deve ser preparada.

As informações do agrotóxico podem ser fornecidas por meio de um software que armazena todos os dados sobre o produto, como ingredientes ativos, doses, restrições, manejo e aplicação. Além disso, o lojista pode ter um histórico do produtor, de sua cultura e os problemas tratados, o que pode ajudar na hora da escolha do melhor produto.

O momento da aplicação

Todo aplicador deve usar os EPIs indicados pelo agrônomo, conforme detalhado no receituário agronômico. Os melhores horários para aplicar o agente são o início da manhã e o final da tarde, períodos em que o sol não está muito forte. É importante se posicionar para não ficar contra o vento e receber a nuvem do agente agrotóxico.

O agrotóxico nunca deve ser aplicado quando estiver chovendo, pois perderá a eficiência e só irá contaminar o meio ambiente. Lembre-se: uma boa hidratação antes e depois da pulverização também é importante.

Nas aplicações áreas, o cuidado deve ser redobrado. Sempre siga as orientações do receituário agronômico.

Armazenagem e descarte de embalagens

Não importa a quantidade, o agrotóxico deve ser armazenado de forma segura e de acordo com algumas regras:

  • ·O local deve ser livre de inundações e afastado de fontes de água, residências e animais. Deve ser de alvenaria e ter boa ventilação e iluminação natural;
  • ·Telhado e instalações elétricas devem ter bom estado, para evitar vazamentos e curtos-circuitos;
  • ·As embalagens devem ser colocadas em um estrado e ficar acima do nível do chão. Devem estar sempre fechadas;
  • ·O depósito deve ser identificado com placas de perigo e seu acesso deve ser restrito;

Quando o produto terminar, as embalagens flexíveis devem ser colocadas dentro de sacolas de resgate e enviadas ao revendedor. Já as embalagens de galão devem passar pela tríplice lavagem, com orientação do engenheiro agrônomo. Depois, também devem ser transportadas ao lojista, que fará o descarte correto. A embalagem de agrotóxico nunca deve ser reutilizada para qualquer uso.

O local para entrega das embalagens deve estar identificado na nota fiscal eletrônica e no receituário agronômico.

Ainda tem dúvidas sobre o uso correto e seguro de agrotóxicos? Deixe o seu comentário abaixo!

COMPARTILHE

DEIXE SEU COMENTÁRIO

VEJA TAMBÉM

Como fazer negociações mais assertivas com fornecedores de insumos agrícolas

10 julho, 2017 - Produtores Rurais

Planejamento adequado, técnicas de negociação e uso da tecnologia são três pilares que podem fazer toda a diferença nos resultados financeiros da sua propriedade rural. Por isso, este artigo pode ser bem interessante para seu aprendizado.

LEIA MAIS

Organizando informações e melhorando a Gestão na sua propriedade rural

05 fevereiro, 2018 - Produtores Rurais

A cada dia, mais produtores rurais vem percebendo a necessidade de evoluir os controles de cadernetas para os registros em computador, sejam por planilhas ou softwares específicos. Neste artigo, esclarecemos algumas dúvidas que podem ser suas também.

LEIA MAIS

Entenda o que é agricultura de baixo carbono e a sua importância para o meio ambiente

20 outubro, 2016 - Produtores Rurais

Você sabia que a produção de alimentos é uma das vertentes do setor agrícola que mais contribuem com o desequilíbrio do efeito estufa? Veja neste artigo os benefícios da agricultura de baixo carbono. Não perca!

LEIA MAIS

FAÇA SUA BUSCA

CONHEÇA NOSSOS EBOOKS

Conteúdo para você entender ainda mais do seu negócio. Clique aqui

MÓDULOS SOFTWARE AGROW

  • MÓDULO
    COMERCIAL

    Gestão de estoque e custos, gerenciamento de compras, vendas e faturamento, operações de entradas e saídas, tabelas de preços, transferências, comissões e/ou serviços com os parceiros (clientes/fornecedores).

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    FINANCEIRO

    Gerenciamento de despesas e receitas, conciliações, saldos bancários, centros de resultados, naturezas, projetos, controle de cheques, boletos, fluxo de caixa e agenda financeira.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    FISCAL

    Cálculo automático dos impostos e tributações de acordo com o produto e a UF de origem/destino, geração do SPED Fiscal, SPED Contribuições, nota fiscal eletrônica e ECF (Emissor de Cupom Fiscal).

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    AGRONÔMICO

    Consulta ao compêndio eletrônico de defensivos agrícolas e bulas de produtos formulados, geração do receituário agronômico, ficha de emergência, e histórico com fotos de pragas e doenças.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    RELACIONAMENTO

    Gerenciamento do perfil do cliente, áreas cultivadas, potencial de compra, apontamento das visitas técnicas inclusive com a adição de fotos, Cropbook e Customer Life.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    INTEGRAÇÃO

    Integração com fabricantes como Bayer, Basf, Syngenta e os demais, órgãos reguladores como IMA, Agrodefesa, IDAF e os outros, instituições bancárias, fornecedores (xml nota fiscal eletrônica) e filiais.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    GESTOR

    Domínio sobre todas as operações do sistema, através de auditoria, painéis de decisões estratégicas (dashboards), relatórios dinâmicos e controle das movimentações.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    FROTA

    Controle de veículos e máquinas, apontamento de abastecimento e apuração do consumo, acompanhamento das manutenções preventivas e corretivas, além do registro da produtividade por máquinas e atividades.

    CONHEÇA
  • MÓDULO
    PRODUTOR

    Gestão das unidades produtivas, culturas, variedades, lavouras, talhões e roças. Aplicações de defensivos e fertilizantes, produção agrícola, colheita, armazenagem e comercialização.

    CONHEÇA